QC Sexo

Fratura no pênis: o que fazer quando acontecer?

Apesar de não ser um problema dos mais comuns, daqueles que se ouve falar em todos os lugares, a fratura no pênis pode acontecer com qualquer homem que tenha uma vida sexual ativa.

Hoje você vai descobrir o que fazer caso sofra uma fratura no pênis e a importância de procurar ajuda rapidamente para evitar complicações. Boa leitura!

O que é uma fratura no pênis?

A fratura no pênis ocorre quando, durante a relação sexual, o órgão sexual masculino é pressionado de maneira inadequada e com uma força desproporcional.

Essa pressão faz com que o membro se dobre ao meio, e os corpos cavernosos do pênis acabam se rompendo, causando a fratura.

Como ocorre a fratura no pênis?

Grande parte dos casos de fratura no pênis acontece quando a parceira está em cima do homem e seu pênis acaba escapando da vagina. Nesse momento, a parceira acaba sentando sobre o pênis do parceiro, causando a fratura.

Também existem casos onde a fratura acontece quando o homem tenta interromper a ereção quando é surpreendido por outra pessoa durante a relação sexual, como a entrada de um filho no quarto do casal, por exemplo.

Casos ainda mais raros ocorrem quando o homem acaba caindo da cama durante o sono enquanto tem uma ereção noturna involuntária.

Como é possível identificar uma fratura no pênis?

Esse tipo de fratura pode ser facilmente identificada sem a necessidade de exames complexos.

O principal sinal de que ocorreu uma fratura no pênis é o som que ocorre quando os tecidos do membro se rompem.

No momento em que acontece o rompimento, é possível ouvir o som de um estalo, seguido de uma dor aguda.

Os outros sintomas que indicam que o pênis foi lesionado são a perda da ereção, inchaço, hematomas em tons azulados ou pretos. Esse inchaço faz com que o saco escrotal também cresça bastante assim que ocorre a lesão.

Quando a lesão atinge a uretra, é possível que o indivíduo perceba a presença de sangue na urina.

Relacionados:

Como é feito o diagnóstico da fratura?

Assim que você perceber os sinais descritos no tópico anterior, o próximo passo é procurar um pronto-socorro o mais rápido possível para que a fratura possa ser confirmada através de exames mais detalhados que darão uma noção real do grau da lesão e qual o tratamento mais indicado.

Os exames realizados para a confirmação da fratura no pênis são o raio-X, a cavernosografia e a uretrocistografia.

Em alguns casos, o médico também pode solicitar a realização de uma citoscopia para avaliar se a uretra também está lesionada.

Qual é o tipo de tratamento mais indicado?

O tratamento mais indicado para cada paciente vai depender do tamanho da lesão sofrida.

Nos casos onde a lesão diagnosticada é considerada pequena, é possível realizar o tratamento apenas com o uso de medicamentos anti-inflamatórios ou antibióticos. Esses medicamentos podem ajudar a melhorar o processo de recuperação da lesão, que nesses casos apresenta inchaço e alguns hematomas.

Durante o tratamento de uma fratura no pênis considerada pequena, também é recomendado o uso de gelo sobre a região lesionada, o uso de medicamentos inibidores de ereções noturnas involuntárias, além da restrição ao contato íntimo por cerca de 6 semanas.

Já nas lesões maiores, é necessária a realização de cirurgia para reparação dos tecidos rompidos no momento da lesão.

Na cirurgia, será realizado o controle da hemorragia e drenagem dos hematomas e, caso seja necessário, será feita também a sutura dos corpos cavernosos ou da uretra.

O ideal é que esse procedimento seja realizado no máximo em até 3 dias após a lesão para que o processo de recuperação seja mais rápido. A maioria dos pacientes que passa pelo procedimento cirúrgico pode ficar internada de 3 a 6 dias.

Pode haver alguma complicação?

Normalmente uma fratura no pênis não apresenta grandes complicações quando diagnosticada e tratada corretamente.

Porém, quando o homem não se apressa em procurar ajuda de um médico ou em um hospital, existe a possibilidade de uma fratura, mesmo que pequena, trazer algum tipo de complicação.

As principais complicações encontradas em pacientes que tiveram fratura no pênis são a curvatura no pênis quando ereto e a disfunção erétil.

Essa última acontece, devido ao tecido de cicatrização que se desenvolve e acaba por impedir que o pênis fique ereto naturalmente, fazendo com que o homem passe a sofrer com a impotência sexual, que pode acabar evoluindo para outros problemas, principalmente psicológicos.

Relato de fratura no pênis mais famoso

Vários homens relatam que sentiram dores enormes no momento em que se lesionaram durante a relação sexual, mas o caso mais conhecido de fratura no pênis é o do jogador de vôlei Giba.

O ex-jogador e ídolo da seleção brasileira contou em sua biografia que, quando sofreu a lesão, sentiu uma grande dor e ouviu o “estalo” característico da fratura no pênis.

Pouco tempo depois, conta o jogador, o saco escrotal inchou rapidamente e seguiu aumentando até que ele procurasse ajuda do seu médico.

Giba conta também que, ao contrário da recomendação dos médicos que pedem que o homem procure imediatamente ajuda médica, demorou dois dias para buscar ajuda para o problema, que acabou sendo resolvido sem necessidade de cirurgia.

Na época do corrido, o jogador ainda defendia a seleção e acabou não disputando o campeonato mais importante por esse motivo, mas optou por não divulgar o motivo real de sua ausência, comunicando a todos que se tratava de uma lesão no ombro.

Considerações finais

Como você pôde notar, qualquer homem está sujeito a sofrer uma fratura no pênis e por isso o problema não deve ser encarado como um tabu.

Muitos homens sentem dificuldade em procurar ajuda médica para problemas como fratura no pênis, ejaculação retardada ou precoce por não compreenderem que a demora no tratamento desse tipo de problema pode acabar causando complicações maiores futuramente.

Caso você sofra uma fratura no pênis, procure ajuda médica o mais rápido que puder para que seja possível identificar o tamanho da lesão e, consequentemente, o tipo de tratamento mais indicado para o seu caso.

Assim, você evita que problemas como deformidade peniana e até mesmo disfunção erétil surjam, podendo seguir com sua vida sexual normalmente.

Deixe seu comentário!