QC Sexo

Linguagem corporal na sedução LGBTQIA+

Linguagem corporal na sedução LGBTQIA+

A linguagem corporal na sedução LGBTQIA+ é caracterizada por uma série de pequenos comportamentos ou atitudes que entregam sinais, indícios de que você está ou não tendo sucesso em seu flerte. É este modo de agir que tem uma grande influência no resultado durante a fase da paquera e da conquista.

O flerte e a conquista envolvem não somente a parte biológica dos seres humanos, como também a psicológica.

Por isso, não podemos classificar homens e mulheres homossexuais da mesma forma que os heterossexuais. Os comportamentos são diferentes e isso tem reflexo direto na forma como as relações interpessoais acontecem.

Assim, por mais que existam muitas semelhanças entre as “regras” da linguagem corporal, há também diferenças importantes na maneira como esse jogo não verbal se desenvolve entre gays e lésbicas.

Por muito tempo, homossexuais não receberam a atenção que mereciam sobre seus comportamentos.

Felizmente, nos últimos anos, muitos especialistas têm buscado estudar as diferenças deles para os heterossexuais e descobriram como a linguagem corporal age diferente quando há atração por pessoa do mesmo sexo.

Gays

O corpo fala

Um dos sinais que um rapaz está interessado em você é quando ele deixa o corpo convidativo.

O primeiro passo é idêntico aos heterossexuais: melhorar a postura para ficar imponente. Porém, há um diferencial aqui.

O peitoral dos gays é muito importante na linguagem corporal na sedução LGBTQIA+. Quando um rapaz quer mostrar interesse pelo outro, ele deixa a região à mostra. Ou seja, ele não cruza os braços e nem segura o copo de bebida próximo ao queixo.

O mesmo serve para situações em que, ao invés de estarem em pé, vocês estão sentados.

Homens têm o costume de manter as pernas abertas como um sinal de virilidade. Se a pessoa pela qual você está interessado senta-se com as pernas cruzadas, pode ser um sinal de que ela está desconfortável ou na defensiva, dando um sinal de que não está disposto a liberar suas partes íntimas.

Os toques

Homens possuem tendências a tocarem nos parceiros e parceiras que lhe chamaram a atenção. Então, quando gays querem demonstrar que estão abertos ao flerte, costumam adotar posturas durante a conversa que favoreçam ao toque.

Isso é possível perceber de acordo com a expansão corporal da pessoa. Se ela estufou o peito, ergueu a cabeça e “abriu” os ombros, é sinal de que está propensa a aceitar ser tocada.

Caso ela esteja retraída, o cenário se inverte e já se tem a resposta de “como saber se ele está interessado em mim?”.

O efeito espelho

Os seres humanos possuem tendência de agirem como espelho quando estão interessados em alguém. Isto é, copiar os movimentos da pessoa atraída.

Esse mecanismo da linguagem corporal é ainda mais forte nos gays. Se você está conversando com um cara no bar e, quando você coloca a mão na mesa, ele repete o mesmo gesto, prepare-se, porque suas chances de conseguir algo são grandes.

Os pés

Os pés também são muito importantes para serem interpretados. Os homens tendem a aponta-los para a direção do que querem.

Assim, mesmo que haja muito contato visual e que o rapaz esteja virado para você, nunca se esqueça de verificar se os pés também estão.

Caso não estejam, bom, é melhor já se preparar para levar um fora.

Linguagem corporal na sedução LGBTQIA+

Lésbicas

Os olhares e a postura corporal

O primeiro sinal de sedução feminina é a troca de olhares.

Se, com os homens, as mulheres heterossexuais possuem dificuldades em serem notadas, na relação homossexual entre mulheres esse passo é fundamental para iniciar a conquista e conectar uma a outra.

Quando uma mulher se sente atraída por outra, após o primeiro contato visual entre as duas, momento em que a primeira barreira é quebrada, ela tende a deixar o corpo ereto e ampliar sua área corporal, um sinal de que está aberta para conversar.

Por falar em postura, mãos e pernas dizem muito sobre a existência de um interesse sexual entre as mulheres. Se com homens elas tendem a naturalmente ativarem parte do seu sistema de defesa, com pessoas do mesmo sexo isso não acontece.

Se, durante o flerte, a moça interessada se mostra bastante expressiva, gesticulando a todo o momento com os braços, é sinal de que as coisas estão caminhando bem.

Já com as pernas, os sinais de sedução feminina consistem em cruzá-las, um jeito de deixa-las mais torneadas.

Os toques

Assim como para os homens, o tato também é bem importante para as mulheres.

Na relação heterossexual, o toque costuma ser uma iniciativa masculina. No caso do relacionamento homossexual entre as mulheres, uma das partes precisa quebrar essa barreira e começar com o contato físico.

Ele não precisa ser pesado, basta um simples toque no cabelo junto de um elogio para conseguir fazer com que a atração entre vocês aumente.

Mais do que o tato entre as pessoas, repare se ela está constantemente tocando em suas joias (colar, anel, relógio ou pulseira), principalmente quando a conversa começa a esquentar.

Este é um mecanismo que mulheres possuem para tentar relaxar durante momentos de alta tensão, quando como ela começa a cogitar se entregar para você.

Os elogios

Como mulheres recebem elogios com muito mais impacto do que homens, é normal que, durante a conversa com uma garota que está interessada em você, haja muitos comentários positivos sobre seu corpo ou sua personalidade. Esta é uma forma de mulheres chamarem a atenção.

Atitude positiva é importante

O padrão social faz com que seja mais comum que parta dos homens a iniciativa de se começar o flerte com uma mulher. Desta forma, muitas moças passam a não ter tanta confiança quando precisam tomar as rédeas da conversa.

Isso se reflete na linguagem corporal na sedução LGBTQIA+ e pode passar para a sua potencial parceira a sensação de insegurança.

Esqueça isso e mantenha sempre a atitude positiva. Para a pessoa na sua frente, isso é sinal de confiança e de que você está determinada em fazê-la se apaixonar por você.

A timidez pode rolar

Quando você não é a pessoa que está tomando a iniciativa, mas sente que algo está rolando, repare se a mulher age diferente quando estão em grupo e quando estão sozinhas.

Pode ser que, em um momento mais reservado, quando ela sente vontade de iniciar o flerte, a timidez fale mais alto e ela se retraía.

O efeito espelho

Da mesma forma que acontece com os gays, as lésbicas também tendem a espelhar as mulheres que lhe atraíram.

Este é um forte sinal de linguagem corporal na sedução LGBTQIA+ e você deve estar sempre atenta para os movimentos que faz e que foram copiados pela pessoa com quem está flertando.

Talvez um papo

Se a pessoa com quem você está flertando é uma que acabou de conhecer, ela pode desconfiar se você é ou não lésbica.

Um dos sinais mais famosos da linguagem corporal na sedução LGBTQIA+ entre as mulheres é a aproximação seguida de perguntas sobre relacionamentos passados. É uma forma que ela utiliza para saber com quem você já teve algum rolo na sua vida e matar a curiosidade para entender se continua ou não investindo na conquista.

Deixe seu comentário!