QC Sexo

Fetiches mais comuns: conheça alguns deles aqui

Em alguns países, são considerados uma anomalia ou patologia sexual. Em outros, a legislação nem trata do assunto e são tolerados. Na Suécia, um dos países mais avançados do mundo, os fetiches mais comuns já foram desconsiderados como patologia e são tratados apenas como tendência sexual, o que deve ser seguido em breve por outros países europeus.

A psicologia ainda trata do assunto com certa prudência, considerando o fetiche como “interesse sexual por algumas partes do corpo do parceiro ou por fantasias”. Já para o dicionário Aurélio, maior e melhor no Brasil, o fetiche é quando “presta-se o culto a um objeto” e o fetichismo é o “culto de fetiches”.

Vínculos que podem vir da infância

Não importa como ou o quanto seja tratado como algo normal ou anormal pelo ser humano, o certo é que fetiches estão incorporados ao comportamento sexual de muitas pessoas – e casais – e, sem eles, não conseguem ter uma boa e completa relação sexual. Existem homens que só conseguem a ereção completa, a ponto de satisfazer sua parceira, com a utilização de algum fetiche.

Ainda pelo ângulo científico, a psicanálise não tem uma explicação completa a respeito do assunto, embora considere que estes estímulos sexuais que brotam de forma especial dos fetiches mais comuns têm a ver com alguns vínculos afetivos que acompanham o ser humano, especialmente o homem, desde a infância.

O sexo grupal oferece muito prazer

Como trata-se de assunto bastante íntimo e, portanto, quase impossível de ter estatísticas a respeito, não há como afirmar categoricamente se fetiches são mais comuns em homens do que em mulheres. O certo é que tanto um lado quando o outro costuma praticar fetiches – e com o prazer redobrado na hora do sexo.

Um dos fetiches mais comuns de que se tem notícia é o sexo em grupo. Tanto que existem cidades onde é comum a prática do sexo grupal, inclusive entre casais heterossexuais com longo período de matrimônio e filhos, inclusive com casas apropriadas para isso e até clubes institucionalizados.

Voyeurismo, prática bastante comum

Existem homens que só chegam ao clímax ou alcançam a plena ereção ao verem sua esposa transando com outro homem. Pode ser, também, um ménage a trois com a participação de outra mulher, em que o homem brinca com as duas. É claro que tudo isso vai depender do grau de cultura e esclarecimento do casal – e da mulher em particular – e até mesmo dos parceiros envolvidos.

Os clubes de swing não são todos iguais e existem regras que devem ser seguidas – e há alguns que a única regra é ‘não há regra nenhuma, salve-se quem quiser’. Alguns, portanto, já são apropriados para a prática dos fetiches mais comuns, a começar pelo voyeurismo, que é a prática da excitação ao ver outras pessoas transando.

Nos clubes de sexo, ver a parceira transar

Ou seja, são clubes que permitem que uns fiquem nus e outros não, que apenas alguns pratiquem o sexo ali mesmo, ante o olhar dos demais. É claro que é proibido fotografar. Mas, em clubes só para casais, a prática da troca de casal é comum e aí o fetiche é ver o companheiro ou a companheira transando com outro, ou, então, apenas ficar sabendo que ela ou ele transou com alguém, conhecido ou não.

Este talvez seja um dos fetiches mais comuns – assistir e até participar de uma transa coletiva em que sua parceira ou seu parceiro também está participando, só que com outra pessoa. Nestes casos, a relação do casal deve ser muito estável, ou, do contrário, pode ser afetada ao assistir ao outro transar e ter prazer.

Um traje específico para o sexo

Entre os fetiches mais comuns, está o uso de trajes específicos para o sexo. É comum para o homem e também para a mulher. Estes trajes podem ter algum significado especial. Por exemplo, a mulher vestida de enfermeira, com uma saia muito curta, ou simplesmente com lingeries provocantes – há homens que só chegam à ereção com sua companheira fazendo esse papel de fantasia.

Piercings em partes íntimas do corpo também costumam causar excitação em certas pessoas. No caso masculino, existem homens que se sentem excitados somente em ver um piercing no umbigo ou nos lábios vaginais da companheira. Com o tempo e a repetição da cena, a relação sexual simplesmente não acontece se não houver o piercing.

A roupa de couro e o toque do cabelo

Outros fetiches mais comuns estão também relacionados à roupa e ao cabelo. Roupas de couro exercem tamanho poder sobre a excitação sexual que, hoje em dia, as lojas de produtos eróticos vendem bastante estes produtos para todo tipo de pessoa, homem ou mulher. Em clubes de sexo ou swing também é comum a utilização desse tipo de roupa.

Quanto ao cabelo, tanto para alguns homens como para mulheres, a cabeleireira do outro exerce verdadeiro fascínio. Deixar o cabelo tocar no seu corpo ou em determinadas partes do corpo provoca tanta excitação que, no caso masculino, não há ereção sem este fascínio quase inexplicável.

Dupla penetração, um fetiche feminino

Para as mulheres, um dos fetiches mais comuns é o ménage a trois com a participação de dois homens, que podem ser amigos ou não. Pode ser o marido e um desconhecido, em que a dupla penetração torna-se obrigatória. Neste caso, não se trata obrigatória para toda vez que o casal vai fazer sexo, mas, uma dupla penetração de vez em quando.

Há relatos de mulheres mostrando que, após a experiência com dois parceiros sexuais – um deles o próprio marido -, a vida sexual do casal tornou-se bem melhor e a vida conjugal também. Muitas vezes, o próprio marido contrata um garoto de programa e realizam a ménage a trois em motéis, com nomes falsos.

Beijo Grego e Fio Terra

É nada mais do que explorar a região prostática para ter mais prazer. Seja com sexo oral, mãos ou brinquedos sexuais.

O Beijo grego nada mais é do que a sexo oral, porém explorando o anus do parceiro. Por ser uma região extremamente sensível, essa prática pode levar seu parceiro a loucura, de tanto tesão.

Fio Terra é algo que muito homens veem com preconceito, pois se trata da sua parceira enfiar o dedo no anus, fazendo uma massagem prostática. Quem se despe dos seus preconceitos geralmente acaba gostando e sentindo muito mais prazer na cama.

O sadomasoquismo e a dominação

Entre os fetiches mais comuns e, também, mais incompreensíveis, está a prática do sadomasoquismo ou dominação. Neste caso, um dos membros do casal – ou o homem ou a mulher – assumem o comando e praticam a dominação sobre o outro. É comum a mulher submeter o homem ao seu comando, no estilo policial mandão que pratica punições ilegais.

Aí rola de tudo, desde algemas na cama até o uso do cassetete – ou semelhantes – no ânus do parceiro. Claro que os castigos não são de machucar, mas, rola apenas uma simulação à tortura. E tudo vai terminar no sexo mais gostoso que os dois já praticaram. Como se vê, fetiches mais comuns são, sim, bastante comuns. Como o homem fazer sexo anal com sua parceira – é quase obrigatório, embora nem toda mulher tolere. Tudo em nome do prazer e da felicidade irrestrita do casal.

Algo muito comum também é a podolatria.

Deixe seu comentário!